sexta-feira, dezembro 22, 2006

MomEntoy_Udanza

No ser livre existe uma quantidade infinita de sentir. A mudança do ser e sua velocidade está diretamente ligada à disposição para o conflito e para a novidade.

Momento de refazer-se. Assim próximo ao meio da primeira parte da história coisas antes insuportavelmente enfadonhas se tornaram mais aceitáveis. Assim diziam mas nunca havia acreditado, era então.

A imagem preto e branco, luz forte que fecha os olhos e faz ver o esboço, esse foi o dia de hoje. Aquela cena de fotografia manual, a granulação na tela, o rolo de fotogramas passando velozmente e sendo projetado no vidro e depois no pano branco é algo quase infantil de se olhar. E segunda-feira estréia um filme de fantasia com o Jonh Malchovich, vendo dali, pareceu incrível.

****


De olho no rio que encontra o mar vejo a água mudando de cor,

O doce virando salgado, engolido pela espuma.

O peixe indeciso não sabe se volta ou se vai. O primeiro é seguro, menorzinho, o outro infinito, distante, escondido.

Com som de violência e intempestividade avança e muda o chão. Volta e recolhe o presente. Se mistura na terra de tantas diferentes pisadas

E deixa regalos para os atentos.

...deve ser a falta da praia.

Imagem: arquivo pessoal.

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial