segunda-feira, outubro 23, 2006

S e l f P o r t r a i t

S e l f P o r t r a i t


Começar hoje a ser quem quer se tornar. Mesmo sem ter conseguido ontem, nem dia algum. Mesmo que esta intenção seja algo pouco claro, misturado a uma série de valores e ideais selecionados dentro da própria cabeça - e do próprio coração.
Sem pretensões de estar certo, de agir da melhor forma, ou ser alguém perfeito. Olhar para dentro de si e ver a quantidade de coisas para mudar e saber que gastaria mais de uma vida para conseguir metade daquilo.
Ter coragem de ver no fundo d'alma e sentir uma tremenda insegurança e depois rir dela.
Rir das coisas da vida, das coisas difíceis, dos fatos imutáveis, de verdades incondicionais, dos enganos, dos foras, das dores, do medo de um dia perder a sensação de ser uma única impressão digital no mundo todo.
Mais um dia onde conseguiu manter o eixo e não desmoronar. Onde um pequeno teste só fez lembrar que as coisas ainda continuam acontecendo, num ritmo mais lento talvez, porém ali.
Ainda não deixou de existir, de pensar o que pensava antes, de tentar mudar, de se abrir para o desconhecido e de lembrar de tudo que já aconteceu.
A coragem já não é mais a mesma, as vezes, é bem menor. As vezes, é maior, impressionantemente mais concreta.
A saudade das pessoas vai se nivelando a uma saudade de bons momentos, será bom?
Algumas coisas apontam para novos caminhos e o novo garante certo otimismo. Uma sensação de reciclagem de pessoas e coisas que aos poucos ficam turvas, desaparem. Há muito mais em primeiro plano, coisas boas e com elas outras não tão boas. Mas coisas novas. Porque mudar é existir.
Devo maior parte da construção do meu caráter àqueles que mais me fizeram mal que bem. Ironicamente.
Espero ter ajudado alguns outros também através de erros. Ao verem uma atitude como algo que não deveria ser feito e algo a não ser copiado. É contribuição maior que ser espelho de alguém. Aquele que se admira, de alguma forma, não abre espaço para nos revelarmos de verdade. O medo da reprovação pode ser maior que a vontade de ser sincero.

Algumas atitudes vem de nascença. A excentricidade é uma delas, quando uno percebe já ficou difícil achar o diferente estranho, opta-se por ele, com clareza.
Dizem que a sedução nos deixa aparentemente mais tolerantes. Talvez a superficialidade das relações nos faça pensar conhecer o outro a ponto de delimitar suas complexidades e, porque não, seus antagonismos.


Mas se vence uma guerra com flores e há tempos o trabalho é a favor de olhar para o mundo de forma a superestimá-lo... Um passo à frente faz o Calar impressindível - e o Ouvir também.

O dia em que for apenas essa última frase terá alcançado boa parte do primeiro parágrafo.

imagem: Paul Klee, Senecio (Old Man), 1922.

1 Comentários:

Às 10:23 AM , Blogger WALK ON disse...

curti teu seff port. re !!!!

e obrigado mesmo pelas coisas q vc me falow ontem.

Afinal de contas "agente é o que é, e quem gosta sempre vem" !!!
- perola de sabedoria retirada do cd das velhas virgens (pasmem) !!!!!

Bejao

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial